Vitória da Conquista estuda retorno da Miconquista

Ela acontecia, tradicionalmente, entre o final de abril e início de maio a cada ano, com grandes artistas da música baiana, atraindo multidões para as ruas e reunindo foliões de todo Brasil atrás dos trios elétricos, em blocos ou mesmo na pipoca. Os principais nomes da axé music passaram por aqui, de Luiz Caldas a Netinho, da Banda Beijo a É O Tchan, de Margareth Menezes a Daniela Mercury. Era a micareta de Vitória da Conquista, que teve início em 1989, foi extinta no ano de 2008, mas que poderá retornar em 2013.

O anúncio foi feito pelo produtor Pedro Alexandre Massinha, proprietário do bloco Massicas, no seu Twitter, no dia do aniversário da cidade.

Durante o Massifolia, festa realizada pelo bloco no último dia 15, Massinha reafirmou o retorno do carnaval fora de época de Conquista e já anunciou que a banda Psirico é atração garantida. O Massicas é responsável por trazer à cidade nomes como Ivete Sangalo e Chiclete com Banana, atrações que tem a Miconquista como parte da própria história. Em recente show em Conquista, Ivete demonstrou no palco sentir saudades da Miconquista e lembrou do circuito da festa.

Em contato com o Conversa de Balcão, Massinha afirmou que as conversas entre a prefeitura e outros produtores já acontecem há certo tempo. “A ótima notícia é que a receptividade é positiva entre todos; me alegra também a motivação e aprovação do público para o retorno da nossa micareta”, comemora.

HISTÓRICO – O carnaval fora de época de Conquista nasceu na década de 1970 quando um grupo de amigos começou a realizar eventos que atraíam crianças, adolescentes e adultos, aliando esporte e música, até se configurar como um bloco de carnaval. Em 1989, a prefeitura apoiou a festa e daí os blocos foram para as ruas. A Miconquista chegou a ser reconhecida nacionalmente, apontada como uma das principais do Brasil. Foi destaque no Domingão do Faustão, com entrada ao vivo com o cantor Gilberto Gil, cantando na praça que foi o ponto alto da festa por muito tempo, a Pracinha do Gil.

Mudanças no circuito, dificuldade para trazer grandes nomes e a falta de apoio fizeram com que os blocos começassem a esvaziar a festa, optando pelas festas fechadas. Aos poucos, Conquista deixou de fazer parte do circuito dos grandes carnavais e a Miconquista chegou ao fim, em 2008, quando a prefeitura realizou pela última vez o evento, já sem blocos nas ruas.

Compartilhe!

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. jadson disse:

    gostaria de saber todas as informacoes sobre a micareta de conquista, pois moro em são paulo e já fui alguns anos e se realmente voltar vai ser muito bom.4

  2. tony disse:

    apoio a minconquista galera vamos colocar novamente os blocos na avenida!!!

  3. ELENITA disse:

    nois queremos micomquista pq vai ser e o meio da gente ganha o dinheirinho nas venda de abadas pq eu constureira
    e tá dificil arrumar um meio de trabalhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *