Scambo com os pés no chão

Vocalista da banda, Pedro Pondé falou sobre o compromisso da Scambo: “conquistar pessoas com a nossa música”

scambo

(Foto: Ailton Fernandes)

Foi daqui de Vitória da Conquista, que a banda soteropolitana Scambo conseguiu dar entrada no passaporte para participar do Super Star, da rede Globo. Um olheiro do programa estava acompanhando a edição do Festival Suíça Bahiana quando fez o convite para a banda participar das audições. Muitas bandas aceitariam de imediato, não foi o caso da Scambo.

Em entrevista concedida ontem (29), no Festival de Inverno Bahia, o vocalista Pedro Pondé contou que ficou com um pé atrás. “Antes de ir para o programa, a gente até se questionou: ‘será que a gente quer essa exposição toda? Vai que dá muito certo… E aí, como fica com a família?’. Pra gente, é importante viver a família”, conta o vocalista. “Teve também um preconceito por não saber como o programa funcionava por dentro, a gente ficou com medo de chegar lá e perder o controle do nosso trabalho, que a gente sempre gostou de ter na nossa mão e aos poucos a gente foi percebendo que existia essa liberdade pra fazer o que quisesse, a partir disso que a gente foi, não tínhamos nada a perder”.

Segundo o vocalista, a partir da participação a banda teve o seu público revitalizado e ampliado, está fazendo mais shows fora da Bahia e, quando é no interior do estado, as pessoas estão indo ver. Apesar da agenda estar mais cheia, eles permanecem em Salvador: “é o nosso chão, nossa base. A gente só pensa em sair para voltar. A gente não é mais adolescente, não dá pra sair de Salvador”, explica.

Se está sendo mais fácil? “O programa gerou uma curiosidade, hoje tem muito mais gente indo aos nossos shows, mas o cenário do rock nacional tá meio nebuloso, tem altos investimentos aí e muito desse investimento vai para mídia, então a gente é meio que atropelado por uma mídia paga e a gente prefere não ficar pensando, delirando, queremos aproveitar cada momento e não ficar fazendo projeções ou criar muitas expectativas”.

Sobre novas oportunidades, Pedro afirma que a banda não força a barra. “A gente tem um perfil de não correr atrás de certas situações, a gente espera que elas aconteçam de forma espontânea. A gente sempre escolheu o caminho mais difícil: a gente quer conquistar as pessoas com a música nossa, com a nossa cara. A gente sempre fez o que a gente quer, a gente não tem por que mudar, eu acho que o artista tem que ser fiel primeiro com ele, daí as pessoas se identificam e seguem”.

A Scambo se apresenta na noite de hoje do Festival de Inverno Bahia, na Arena Eletro-Rock!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *