O Rappa: Falcão deixa recado pra galera do FIB

Por Joana Rocha

Eles eram os mais aguardados pelo público na segunda noite do Festival de Inverno Bahia. Espera aí, calma! Não estamos falando de uma atração inédita ou da mais recente revelação do cenário pop. Esse singelo post é pra falar de uma banda que tem 23 anos de carreira e também é considerado um dos maiores e melhores sons produzidos no país.

O Rappa, banda carioca de pop rock (se é que podemos definir um estilo musical para o grupo que mescla reggae, rap e MPB, rs!) subiram ao palco principal do FIB 2017 como terceira banda da noite de sábado (26). Em turnê com O Rappa Acústico Oficina Francisco Brennand, gravado em Recife no ano passado, Falcão (vocais), Lobato (teclado), Xandão (guitarra) e Lauro Farias (baixo) não decepcionaram o público que os aguardavam ansiosos.

Pelo jeito nem a madrugada fria abalou os fãs que se espalharam no espaço do Parque de Exposições Teopompo de Almeida. Sejam grudados na grade, na pista ou camarotes, muitos deles aproveitaram o que possivelmente foi o último show da banda na cidade, uma vez que os músicos anunciaram uma nova parada na carreira, a partir de fevereiro de 2018.

O som inicial ficou por conta do sucesso “O Salto”, em seguida “Auto-Reverse” e “Lado B Lado A”, tiraram a galera do chão. Outros clássicos como “Pescador de Ilusões”, “Rodo Cotidiano”, “Reza Vela”, “Me Deixa” e a releitura de “Súplica Cearense”, de Luiz Gonzaga, também deixaram o público empolgado. As músicas “Uma Vida Só” e “Sentimento” foram as faixas escolhidas do último disco.

“Menorzada não se meta em besteira, ouça sempre os mais velhos, pais, tios, irmãos… Não se metam em besteira”, esse foi o alerta feito por Falcão antes de cantar “Fronteira”. A música conta a história de um amigo do cantor (D.U.C.A.), que perdeu a liberdade ao pegar onze anos por causa de um deslize, ao mesmo tempo em que reforça as letras de forte cunho social da banda, desde o primeiro disco gravado em 1994.

Quarta vez no Festival de Inverno Bahia (2006, 2013, 2015 e 2017), O Rappa deixa, mais uma vez, sua marca como um dos melhores e mais aclamados shows do FIB 2017. Ao menos é o que pensa essa fã que deixou de ouvir a última música do show “Anjos”, para correr em busca de outra foto e autógrafos dos ídolos.

Pausando, parando, voltando ou não: O Rappa nunca tem fim! #ORappaNãoPodeParar #FIB2017 #ÉTudo

Assista na íntegra ao show da banda!

Compartilhe!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *