Festival começa com temperatura lá em cima

Tiago Iorc que abriu a 13ª edição do Festival

– 13 graus!

Alguém respondeu pra Ivete Sangalo no seu camarim um pouco antes do início do seu show no Festival de Inverno Bahia, nesta sexta, 25.

A cantora baiana, acostumada a se apresentar em Vitória da Conquista e às suas temperaturas baixas, desde o início da banda Eva, subiu ao palco com um sobretudo lhe protegendo do vento frio da madrugada. Já passada da uma da manhã quando ela entoou O Farol, abrindo o show.

Algumas músicas depois, o sangue já estava fervendo e Ivete desveste-se, exibindo as pernas (protegidas por uma meia-calça preta) e o figurino cheio de brilhos. A expectativa era que a cantora trouxesse o show acústico para o Festival, mas ela não foi por esta linha. Ela trouxe foi o circuito Campo Grande e o Barra-Ondina para o palco do FIB.

Sucessos do carnaval baiano deram o tom do show que colocou o público para suar a camisa.  Além das consagradas canções da sua carreira, Ivete incluiu no repertório Baianidade Nagô, Faraó, Ladeira do Pelô e Doce Obsessão, além da super nova À Vontade, que colocou o público de volta ao clima do show após uma queda de energia do gerador, que interrompeu o show por alguns minutos – o que ela soube driblar fazendo graça.

Na coletiva à imprensa, Ivete falou sobre o atual momento da sua carreira, o sucesso do clipe do single À Vontade e o início da carreira, em 1993. “Quando eu comecei a gravar, em vinil, já vinha o advento do dvd, quando eu vi aquela mídia, eu falei ‘o futuro a Deus pertence’, porque do vinil para o cd já foi um salto absurdo. Mas, mesmo nessa época dos LPs, já existia a cultura dos singles, passou muito tempo até que nós absorvêssemos esta ideia. Se naquela época eu já imaginava coisas de tecnologia absurdas, imagine agora…”, declarou.

Antes de Ivete, Tiago Iorc e a banda mineira Skank se apresentaram no palco principal. Para além de Amei te ver, os fãs de Tiago Iorc foram em peso ver, ouvir e, principalmente, cantar sucessos já consagrados como Coisa Linda, Trevo (Tu), Alexandria, Mil Razões e Cataflor.

Com Skank, o público pulou e extravasou. A banda fez um espetáculo de tirar o fôlego e inesquecível. Sobre milhares de luzes de celulares da plateia, a música Esquecimento colocou outros brilhos nos olhos de cada um e um outro tom de cumplicidade em todo o Festival. Os grandes sucessos da banda não ficaram de fora do repertório.

O primeiro dia do FIB terminou mostrando que Vitória da Conquista abraçou, definitivamente, a mistura de ritmos do evento: o primeiro dia teve seus ingressos esgotados – quem chegou um pouco mais tarde não encontrou nem na mão de cambistas.

Hoje à noite, se apresentam no Festival: Humberto Gessinger, Jota Quest, O Rappa e Raimundos (palco principal); Excalibur Rock Band, Dost, DJ Loro Vudu, Os Informais, DJ PX e DJ Rober (Arena Eletro Rock); Pra Casar, Forró do Karoá, Fulor do Cangaço, Erlan e Bruno Magalhães (Barracão Universitário) – nesta ordem.

Compartilhe!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *