Bethânia à vontade

mb_luzidia

O show realizado em 2001 no Canecão, no Rio de Janeiro, foi em comemoração aos 35 anos de carreira da cantora, com o repertório do disco “Maricotinha”, lançado no mesmo ano. Nele Maria Bethânia recebeu amigos para dividir o palco. Parceiros que compõe a sua trajetória, donos de canções que estavam no disco recém-lançado e em anteriores. O show foi registrado sem a intenção de virar DVD até que a Biscoito Fino resolveu, em dezembro do ano passado, compartilhar com os fãs de Bethânia o momento histórico.

Despreocupada com o registro e o roteiro, a cantora está totalmente livre no palco, brinca com os amigos convidados, improvisa, conta histórias, lembra momentos, se diverte e se entrega com a cantada da cantora Adriana Calcanhoto, em quem lasca um beijo. Em uma hora e meia de show, Bethânia canta mais de trinta músicas com a participação de nomes como Chico Buarque, Gilberto Gil, Vanessa da Mata, Lenine, Edu Lobo, Ana Carolina, Nana Caymmi, Chico César e Caetano Veloso, além de outras dez pessoas.

Dirigido por Bibi Ferreira, o show começa com o coro da banda entoando a canção “Maria Bethânia”, em seguida ela aparece ao lado do irmão Caetano, o responsável por fazer ela aparecer na década de 60, quando entregou a ela a responsabilidade de gravar “De Manhã”, música que cantam juntos logo em seguida. Daí vem “O Canto de Dona Sinhá”, “Dona do Dom”, “Primavera”, “Opinião”, “Quando você não está aqui”, “Lamento sertanejo”, “Se eu morresse de saudade”, “Adeus, meu Santo Amaro”, “Antes que amanheça”, “Pra rua me levar” e outras interpretações marcantes. O show termina com “O que é, o que é?”, de Gonzaguinha, música com a qual ela tem encerrado os seus shows desde então.

capa

NOITE LUZIDIA (DVD) – Maria Bethânia (Biscoito Fino); R$ 39,90

Além do show, o DVD conta com uma série de depoimentos dos convidados e amigos. “Eu nunca vi uma coisa tão deslumbrante em cena, nunca!”, diz Bibi sobre a cantora. “Eu lembro da minha mãe me falando: meu filho, você só vai ser compositor quando a Bethânia gravar você, antes disso você não vai ser um compositor sério”, conta Chico Buarque. “Eu sou um compositor estimulado por Bethânia, todo meu estilo vem dela, Bethânia é a causa por eu estar aqui”, revela Roberto Mendes. “Não há nada mais prazeroso que ver a sua canção ser interpretada por uma grande intérprete”, confessa Renato Teixeira.

É mais que uma comemoração é uma celebração com o melhor da música popular brasileira, misturada a afeto e carinho, como quem recebe amigos em casa para festejar. E assim foi, agora você pode conferir na sua sala…

Compartilhe!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *